Páginas

11 Junho, 2012

Bolo de coco com cerejas


Sinto a minha cabeça cheia, repartida por mil e uma tarefas. Há fases assim, em que a existência de 3 de nós seria um número mais adequado à quantidade de coisas a fazer. Mas enquanto isso não é possível, uma só terá de chegar. Estabelecem-se prioridades, e algumas coisas vão ficando em stand-by, para quando há um tempinho livre. O blog tem sido uma delas, mas a cozinha não. Continuo a experimentar novas receitas, porque no meio do trabalho também é preciso ter algo que descontraia e dê prazer. J

Para começar bem a semana, deixo aqui uma sugestão doce, vinda do Flagrante Delícia. Este bolo fica uma verdadeira delícia! A combinação do bolo de coco fofinho e húmido com a cobertura caramelizada de cereja é fantástica. Cá por casa, adoramos.



Para 6 a 8 pessoas
Retirado daqui.

Cobertura
30 g de manteiga derretida
60 g de açúcar
250 g de cerejas

Bolo
90 g de açúcar
100 g de manteiga amolecida
2 ovos
1 pitada de sal
100 g de coco ralado desidratado
120 ml de leite
70 g de farinha de trigo
1 colher de chá (5 g) de fermento químico

Preparação:

1.   Pré-aquecer o forno a 180º C. Untar uma forma de 17x17 cm com manteiga e forrar com papel vegetal.

2.   Abrir ao meio e descaroçar as cerejas. Espalhar a manteiga derretida e o açúcar no fundo da forma e distribuir as cerejas.

3.   Peneirar a farinha com o fermento.

4.   Bater as claras em castelo com uma pitada de sal.

5.   Bater a manteiga com o açúcar até que fique cremosa e esbranquiçada. Juntar as gemas, o coco e depois o leite, sem parar de bater. Adicionar a farinha e bater a velocidade baixa, apenas até ligar todos os ingredientes. Incorporar as claras batidas em castelo, suavemente.

6.   Verter a massa sobre as cerejas e alisar a superfície. Levar ao forno cerca de 50 minutos, ou até que um palito inserido no centro saia limpo. Retirar do forno e deixar arrefecer sobre uma grade antes de desenformar.





A minha parte preferida? Sem dúvida aquela onde o caramelo de cerejas fica embebido no bolo. Simplesmente irresistível. Por isso se fizerem o bolo, comam as fatias dos cantos. J

Uma boa semana para todos e muito obrigada pelas vossas visitas e comentários. Não sabem como me deixam feliz! J

30 Maio, 2012

Muffins de limão para um piquenique


Vamos ao piquenique da Manuela? O blog Cravo e Canela está de parabéns e já é certo que vai estar um dia lindo e cheio de sol para comemorar. Por isso é só pegar nas cestas, recheá-las bem, e não esquecer a toalha e o protetor solar (o sol no campo também queima J).
Na minha cesta levo muffins de limão, fofos e húmidos com uma cobertura crocante que os deixa irresistíveis.



Para 8 muffins
Ligeiramente adaptada daqui.

1 chávena de farinha de trigo
2/3 de chávena de açúcar
1 ovo
1/3 de chávena de iogurte natural
1/3 de chávena de manteiga sem sal derretida (usei margarina Becel)
1 colher de chá de fermento em pó
1 pitada de sal
½ colher de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de chá de raspas da casca de limão
1 colher de chá de sumo de limão
Para a cobertura
¼ chávena de farinha de trigo
¼ chávena de açúcar
1 colher de sopa de manteiga sem sal fria (usei margarina Becel)

Preparação

1.   Pré-aquecer o forno a 180ºC. Untar formas de muffins com farinha e manteiga. 

2.   Peneirar a farinha com o fermento, sal e bicarbonato.  

3.   Noutro recipiente, bater os ovos com a manteiga. Adicionar o açúcar e bater bem. Acrescentar o iogurte, as raspas e o suco de limão, continuando a bater. 

4.   Em velocidade baixa, adicionar aos poucos os ingredientes secos, até ficarem incorporados. 

5.   Preparar a cobertura: Misturar a farinha, açúcar e a manteiga com as mãos até formar uma areia grossa.  

6.   Encher as formas até ¾ da sua capacidade e por cima distribua a cobertura. Levar ao forno por 20 – 25 minutos ou até que um palito saia limpo.


Ficam mesmo mesmo bons. Experimentem! E vemo-nos no piquenique. J

28 Maio, 2012

Paella de frango e camarão


Não sei do que estava à espera quando fiz esta paella. Nunca tinha provado uma verdadeira paella (nem falsa :P), desconhecia o sabor do açafrão, mas as cores vivas deste prato e a sua boa fama atraíam-me para a experimentar. Não sei como é a verdadeira paella, se apenas com frango (ou coelho como na versão original desta receita), se apenas com camarão, ou com uma mistura, mas o que é certo é que esta ficou realmente deliciosa. Fiquei rendida!     


  
Para 6-8 pessoas
Ligeiramente adaptada daqui.

3 chávenas de arroz bomba ou risotto
8 chávenas de caldo de galinha
1 cebola grande picada
3 dentes de alho picados
1 pimento vermelho grande, picado
300 g de ervilhas
4 tomates picados
113 g de concentrado de tomate
15 camarões grandes
1 – 1 ½ kg de frango
2 fatias finas de chouriço de carne
½ chávena de salsa fresca
2-3 colheres de sopa de tomilho fresco
½ colher de sopa de paprika
1 colher de chá de açafrão
Limão em quartos para servir
Azeite q.b.
Sal e pimenta q.b.
 

Preparação
 
1.    Cortar o frango em pedaços pequenos e salgar ligeiramente. Tirar a casca ao camarão deixando apenas a cauda e salgar.

2.    Aquecer o caldo de galinha, mantendo-o quente, mas sem ferver, enquanto cozinha.

3.    Cobrir o fundo da paellera/frigideira com azeite. Aquecer e dourar o chouriço em lume alto por 1-2 minutos (não cozinhar totalmente, apenas dourar). Reservar. Dourar o frango por 2-3 minutos (não cozinhar totalmente). Reservar. Dourar o alho, cebola e pimento vermelho, até amolecerem, adicionando os tomates pouco antes da mistura estar terminada.

4.    Deslocar os vegetais para um lado da frigideira e no outro lado adicionar o concentrado de tomate. Deixar caramelizar, mexendo até que comece a soltar-se (cerca de 1-2 minutos em lume alto).

5.    Misturar todos os vegetais e carnes com o concentrado de tomate, adicionando também a paprika, salsa e tomilho.
 
6.    Adicionar o arroz e o açafrão, misturando e mexendo conforme o arroz ganha cor (1-1 ½ min). Quando o arroz estiver ligeiramente translúcido, adicionar caldo de galinha suficiente para cobrir toda a mistura. Deixar levantar fervura e baixar para lume médio, mantendo numa fervura constante.

7.    Durante os primeiros 5-10 minutos, mexer algumas vezes, adicionando caldo sempre que necessário para manter o arroz todo coberto.

8.    Após este tempo, não mexer mais. Deixar cozer mais 10-20 minutos, adicionando caldo aos poucos para manter o arroz submergido até o arroz da parte de cima ficar al dente. (Não preocupar se o arroz queimar em baixo, é suposto ser assim.)

9.    Quando faltarem cerca de 8 minutos para o final da cozedura, colocar o camarão por cima, virando após 2-4 minutos para cozinhar do outro lado.

10. Retirar a paella do calor e cobrir. Deixar repousar por 15-20 minutos, sem retirar a tampa!

11. Servir com os quartos de limão.



Desculpem a minha ausência nos vossos cantinhos, mas o tempo tem sido escasso para todo o trabalho que tenho de despachar. Mas hoje fiz questão de vir aqui deixar-vos esta sugestão que realmente me conquistou. Dizem que de Espanha nem bons ventos nem bons casamentos, mas boas paellas vêm de certeza. J

Uma boa semana!

14 Maio, 2012

Cobbler de nêsperas


Tal como os crumbles, os cobblers foram mais uma das sobremesas que demorei a experimentar, mas pela qual fui conquistada à primeira colherada. Tornaram-se das minhas sobremesas de eleição: rápidas, simples, versáteis e deliciosas. Esta versão com nêsperas é uma maravilha, apostando numa combinação perfeita dos sabores da canela e baunilha com as nêsperas. A parte da cobertura ligeiramente crocante, mas macia na parte misturada com este recheio de fruta…. Hummm… J



Para 8 pessoas
Ligeiramente adaptada daqui.

Recheio
900 g de nêsperas
7 colheres de sopa de açúcar (menos se as nêsperas estiverem bem maduras)
1 colher de sopa de farinha
1 ½ colher de chá de sumo de limão
¼ colher de chá soro de extrato de baunilha
1 colher de chá de canela

Cobertura
¾ de chávena de farinha
¾ colher de chá de fermento
¼ colher de chá de bicarbonato
½ colher de chá de sal
3 colheres de chá de açúcar
4 colheres de sopa de manteiga sem sal cortada em pedaços (usei margarina Becel original)
½ cháv. de buttermilk bem agitado (ou misturar 1 colher de sobremesa de sumo de limão com ½ chávena de leite e deixar repousar por cerca de 10 minutos)


Preparação

1.    Descascar e descaroçar as nêsperas. Cortá-las em quartos.

2.    Misturar todos os ingredientes do recheio num tabuleiro/forma de 23x23 cm. Deixar repousar durante 30 minutos, para que a mistura solte o seu sumo.

3.    Pré-aquecer o forno a 200 oC.

4.    Misturar a farinha, fermento, bicarbonato, sal e 1 colher de chá de açúcar.

5.    Adicionar a manteiga em pedaços e incorporá-la usando as pontas dos dedos, até a misturar ficar mais ou menos macia. Adicionar o buttermilk mexendo rapidamente com uma faca até ficar incorporado mas não uma massa totalmente homogénea (deve ficar com grumos).

6.    Deitar colheradas da massa sobre o recheio, deixando espaço entre elas para permitir a expansão da cobertura. Polvilhar o topo com as restantes 2 colheres de chá de açúcar.

7.    Levar ao forno por cerca de 30 minutos, ou até o topo ficar dourado e a fruta macia. Deixar arrefecer ligeiramente, cerca de 15 minutos e servir morno, de preferência acompanhado com uma bola de gelado.




Se forem como eu e desconfiarem da receita da cobertura por basicamente não incluir açúcar, não deixem mesmo assim de fazer esta sobremesa. Garanto-vos que fica perfeita, não vão sentir falta de açúcar. J

29 Abril, 2012

Baked beans com cerveja e frango


Hoje começo com um agradecimento e um pedido de desculpas. Queria agradecer-vos as vossas visitas e os comentários que vão deixando. A vossa simpatia tem tornado esta experiência do blog maravilhosa. Obrigada! J O pedido de desculpas é pela minha ausência, tanto aqui como a visitar os vossos blogs. Estes últimos tempos têm sido um pouco atarefados e algumas coisas vão acabando por ficar um pouco para trás…  

Para tentar compensar, trago hoje uma receita da Susana do nosoupforyou, à qual eu andava a piscar o olho à algum tempo – os baked beans. Quando estive na Irlanda experimentei os de lata da Heinz, muito comuns como marmita para o almoço na universidade onde estive (aliás, acho que era o almoço diário de uma rapariga, acompanhados de umas torradinhas J). Mas confesso que fiquei desiludida. Acho que estava à espera de algo diferente.

Já estes baked beans… Estes valem por 1000 latas da Heinz. São tão bons, mas tão bons! Há certas combinações que realmente fazem magia… J Adorei! 



Para 6 pessoas
Retirada do livro “Velocidade Colher – Entre Tachos e Bimby”, da Susana Gomes, também disponível aqui

1 cebola
2 dentes de alho
150 g de chouriço cortado às rodelas (usei 4 rodelas finas)
25 ml de azeite
100 g de polpa de tomate
2 peitos de frango cortados em cubos pequenos
600 g (2 latas) de feijão branco cozido, escorrido
1 colher de sopa de mel
1 colher de sopa de vinagre (usei de vinho tinto)
1 colher de sopa de mostarda
Tabasco q.b.
Sal q.b.
Cerveja 

Preparação

1.    Pré-aquecer o forno a 180 ºC. 

2.    Picar a cebola e o alho, cortar uma rodela de chouriço em cubinhos e refogar tudo no azeite, em lume brando, até a cebola amolecer. 

3.    Juntar os restantes ingredientes, com a exceção da cerveja, ao refogado. Cozinhar até levantar fervura. 

4.    Deitar tudo num tabuleiro de forno e regar com a cerveja até praticamente cobrir o feijão. 

5.    Levar ao forno por cerca de 1 hora, mexendo duas vezes a meio. Acompanhar com arroz branco.



De lamber os dedos. J Só tenho pena de não ter uma foto inteira do prato. Fiz algum disparate com o meu cartão de memória da máquina e perdi as fotos que tirei a três receitas, incluindo esta. Fui logo recorrer ao amigo Google para tentar arranjar solução. Depois de umas quantas voltas, de experimentar não sei quantos programas grátis de recuperação de dados apagados, de formatações do cartão no computador e na máquina, lá consegui recuperar quase tudo. Só as fotos que mostravam estes baked beans em toda a sua glória é que não foram recuperadas (fiquei apenas com metade da imagem :-P).

Acho que um dia destes faço um post sobre o que fazer para recuperar fotos apagadas do cartão. Pode ser que dê jeito a alguém, para evitar que percam as horas que eu perdi à volta disso. J